Você está em - Home - Exames - Aplicação de Toxina Botulínica

Aplicação de Toxina Botulínica

 

Algumas doenças neurológicas atrapalham o controle sobre alguns músculos do corpo, provocando movimentos e posturas incômodas. Como exemplos, temos a "rigidez" muscular (espasticidade) após um acidente vascular cerebral (AVC) ou um grave traumatismo da cabeça, movimentos automáticos no rosto (espasmos faciais), e posturas anormais de membros e pescoço (distonias).
Para reduzir estes movimentos e posturas incômodas, usa-se a aplicação de toxina botulínica.

 

1. O que é toxina botulínica?

A toxina botulínica é um composto extraído de uma bactéria, que paralisa temporariamente alguns músculos. Sua aplicação pode ser feita apenas diretamente no músculo que se deseja paralisar, através de injeção intramuscular. Apesar do nome "toxina", esta medicação e este tratamento são bastante seguros. 


2. Como o procedimento é realizado?

Antes da aplicação da medicação, uma consulta pré-procedimento deve ser feita para exame neurológico e planejamento da melhor estratégia de aplicação. Os músculos que receberão a toxina serão definidos, assim como as doses adequadas da toxina.

Em um segundo momento, é feita a aplicação de toxina botulínica.Trata-se de um procedimento muito simples, realizado em ambiente ambulatorial, com duração média de 10 minutos. O médico aplicador irá injetar pequenas quantidades da toxina nos músculos pré-definidos (cerca de um a dois pontos por músculo), com uma agulha hipodérmica bem fina. Mesmo sendo uma pequena quantidade de líquido injetado, pode haver um leve desconforto na aplicação, que pode ser reduzido com o uso de pomadas anestésicas na pele.

Após a aplicação, o paciente já está apto a voltar a suas atividades habituais, sem necessidade de um período de observação.

É importante frisar que o efeito da toxina botulínica de bloquear os movimentos automáticos dos músculos não é permanente. Os efeitos duram aproximadamente três a quatro meses, por isso é comum a necessidade de se repetir a aplicação da medicação quando seus efeitos estiverem diminuindo.

 

3. Indicações:

A aplicação terapêutica de toxina botulínica é realizada em doenças neurológicas que causam movimentos e posturas involuntárias, como por exemplo:
• Espasticidade (provocada por AVC, traumatismo cranianos ou medulares, paralisia cerebral)
• Espasmos involuntários no rosto (p. ex: espasmo hemifacial e piscamento excessivo patológico - blefaroespasmo)
• Posturas anormais de braços, pernas e pescoço (p. ex: distonias de membros e cervical)

Nas últimas décadas, houve um aumento nas possibilidades de aplicação de toxina botulínica em Neurologia. Dentre elas:
• Enxaqueca crônica refratária (casos selecionados, com história crônica de pouca eficácia com as medicações profiláticas)
• Salivação excessivapatológica (como em alguns casos de doença de Parkinson)

Observação importante: A aplicação de toxina botulínica para fins cosméticos não se enquadra nestas indicações. Para isso, deve ser consultado o médico dermatologista.


4. Contraindicações:

• Doenças da junção neuromuscular (p.ex., miastenia gravis)
• Gravidez
• Infecção generalizada ou infecção da pele próxima aos pontos de aplicação
• Distúrbios da coagulação (INR> 1.6) e plaquetopenia (<70.000)


5. Preparo:

• Não passar cremes na pele no dia do exame
• Não é necessário jejum
• É sugerido o uso de roupas confortáveis, já que a aplicação nos músculos das pernas ou dos braços pode necessitar que se retire parte da vestimenta.
• Chegar à clínica com pelo menos 30 minutos de antecedência


6. Dúvidas:

Estamos à disposição para esclarecimentos através do telefone (91) 2121-4301 ou do email contato@neurologie.com.br.

 

Médico responsável: Dr. Bruno Lopes Santos-Lobato.